Michiko – parte 01 [conto]

Enquanto colhia café, Michiko observava suas mãos calejadas e mal pagas. Já estava muito longe do sonho primeiro, da riqueza fácil que encontraria no Brasil. Seus pais, já velhos e cansados, mal conseguiam trabalhar metade do dia. Dos seus quatro irmãos, só restavam dois: Yuichi e Keiko. Os dias passavam e ela nunca encontrava uma saída para tal destino. Ah, tanto sonhara em voltar ao Japão, ou ao menos dar a chance de seus pais voltarem. Perguntava-se sobre os tios, os quais vira duas ou três vezes na vida, estariam vivos?

– Michiko! Michiko! Onde está?

– O que aconteceu, Keiko?

– Nosso pai… Nosso pai está morrendo!

– Morrendo?

Saíram ambas correndo numa espantosa velocidade. O coração de Michiko saltava no peito, dezenas de pensamentos inundavam sua mente, o que restava de todos os sonhos partilhados estava prestes a transformar-se em pó.

Lembrou-se do dia em que seu pai, assustado, carregou-a no colo após ter machucado a mão esquerda. Michiko não tinha mais do que seis anos, sua família havia acabado de desembarcar no Brasil e ninguém sabia ao certo o que estava por acontecer.

– Sai daí, Michiko!

O barulho foi aumentando, foi aumentando. A mulher ficou presa no chão. Sua mente esvaziou-se, nada mais ouvia nem via. Chegava ao ponto final o sonho de voltar ao Japão. Voltar. Voltar…

Abriu os olhos lentamente, sua vista estava embaçada, mas aos poucos voltava a definir os objetos claramente. Quando estava prestes a levantar a cabeça, ficou paralisada de susto: percebera, pois, que se encontrava em sua antiga casa no Japão. Encantou-se ao ver seus antigos móveis, o lar simples no qual residira nos seus primeiros anos de vida. Por mais que não tivesse recordações claras no local, mergulhou nas mais profundas e tenras memórias que, aparentemente, ficaram guardadas em sua mente.

– Aida! Veja, ela acordou!

– Não grite assim, Keiko!

Deixe uma resposta